Setembro de Esperanças Renovadas.

Sempre gostei deste mês, nuns anos mais, noutros menos. Dependia muito da fase da vida em que estava, mas olhando para trás vejo que em Setembro tomei algumas das melhores decisões da minha vida.

Em 2014 engravidei da minha filha, em 2015 decidi marcar o exame de Código (já estava inscrita há nove meses e já tinha feito as aulas todas mas andava sempre a adiar o exame), em 2016 decidi que queria ter um segundo filho, em 2017 estive o mês praticamente todo em Portugal de férias o que me fez voltar com uma lufada de ar fresco, e este ano entrei novamente na universidade, desta vez não na minha cidade natal, mas no país que me acolheu. Esta foi das coisas mais importantes que me aconteceram este ano.

Quando emigrei e deixei para trás a oportunidade de fazer o curso que sempre tinha sonhado não me preocupei minimamente porque achava que ia conseguir aqui um trabalho na área. Já tinha alguma experiência por ter estado algum tempo a trabalhar em Portugal, e até trazia dois diplomas, isso não aconteceu. Fiquei frustada, mas acabei por me agarrar ao que tinha e não ao que não tinha.

Como vi que sem o curso não conseguia progredir fiquei sempre com aquele bichinho atrás de mim, acompanhou-me ao longo destes 4 anos, mas mais uma vez a hipótese de não conseguir era grande, e eu tive medo de falhar. Talvez por ter ouvido sempre dizer que existiam poucas vagas, que se os que cá fazem a secundária vão para fora porque não conseguem eu também não havia de conseguir, que já estava velha para essas coisas, que agora já estava burra (sim, ouvi destes comentários). E eu agarrei-me a estas desculpas e adiei, adiei, adiei, até que este ano pensei para mim mesma que entrava, e que ia fazer o raio do curso, nem que fosse na China, eu havia de conseguir.

Informei-me desta vez não com pessoas, mas com as entidades competentes, Universidade, Ministério da Educação, SEVE, e o que é certo é que finalmente aqui estou eu, recém universitária, num país que não é o meu, que não fala a minha língua, e que não é de todo o que eu tinha imaginado quando era adolescente.

Agora é não me esquecer de pedir desconto estudante em todo o lado e estudar, estudar, estudar.

Setembro, que tragas sempre a cada ano que passa novas oportunidades para recomeçar.